Acusado de ser o Autor de feminicídio foi preso com mala pronta para fuga com ex-mulher, ia fugir para Águas Lindas (GO) - LEI & POLÍTICA

Page Nav

HIDE

Teste Teste Teste Teste


 

Últimas notícias:

latest


 

Acusado de ser o Autor de feminicídio foi preso com mala pronta para fuga com ex-mulher, ia fugir para Águas Lindas (GO)

  Fabrício Lima de Araújo, 27 anos, ia fugir para Águas Lindas (GO) logo após matar a namorada, Jakeliny Neres Ferreira, 43. Fabrício Lima...

 


Fabrício Lima de Araújo, 27 anos, ia fugir para Águas Lindas (GO) logo após matar a namorada, Jakeliny Neres Ferreira, 43.

Fabrício Lima de Araújo, 27 anos, foi preso pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) nesta segunda-feira (1º/8) quando estava de malas prontas para fugir para Águas Lindas (GO), na companhia da ex-mulher. Ele é apontando como o responsável pelo feminicídio de Jakeliny Neres Ferreira, 43 anos, com quem mantinha um relacionamento há apenas três semanas (foto em destaque).

Segundo relatos dos investigadores que atuaram na busca pelo suspeito, uma denúncia anônima os levou até o Condomínio RK, em Sobradinho. Eles acompanharam a movimentação durante todo o dia até que encontraram a ex-mulher de Fabrício, Claudenice Braga Magalhães, 43. Ela estava com bagagens em mãos, pronta para fugir com ele, e acabou presa.

Os agentes da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) realizaram a abordagem e a mulher acabou concordando em levá-los até o galpão onde Fabrício estava escondido. Na hora, ele confessou aos policiais que era mesmo o autor do crime.

Ligação para a ex

Fabrício ligou para a ex-companheira logo após cometer o crime, na noite de domingo (31/7). Na ocasião, o jovem disse que tinha “furado” Jakeliny, pois ela estava falando com outro homem. Neste momento, porém, ele ainda não tinha conhecimento da gravidade do ferimento, que tinha tirado a vida da vítima.

Em um primeiro momento, a mulher disse que não iria encontrá-lo. Mas, como uma amiga chamou um carro de aplicativo, os dois acabaram se encontrando em frente a um mercado do Itapoã. A dupla ficou conversando em uma parada de ônibus até as 4h, e depois lancharam na feira do Paranoá, logo no início da manhã.

Fabrício foi trabalhar no dia seguinte ao crime e só voltou a contatar a ex-companheira à tarde. Na ligação, disse que Jakeliny havia morrido. Os dois, então, se encontraram novamente, no intuito de fazerem as malas e fugirem. Neste momento, foram presos.

A comparsa do autor do feminicídio ainda informou que estava grávida de Fabrício e havia sido abandonada havia cerca de três semanas, quando Fabrício assumiu o novo relacionamento.

No momento da prisão, ela ainda tentou quebrar o celular que continha provas do crime, mas foi contida.

Da redação com a fonte do Metrópoles e PCDF 

Nenhum comentário

BETANO


 

Pixel