A PCDF conclui investigações e prende acusado de importunação sexual em banheiro da Unb - LEI & POLÍTICA

Page Nav

HIDE

Teste Teste Teste Teste


 

Últimas notícias:

latest

{ads}


 

A PCDF conclui investigações e prende acusado de importunação sexual em banheiro da Unb

Em decorrência de investigações e pedido de prisão junto ao Poder Judiciário, nessa terça-feira (21), equipe da 2ª DP deu cumprimento a mand...


Em decorrência de investigações e pedido de prisão junto ao Poder Judiciário, nessa terça-feira (21), equipe da 2ª DP deu cumprimento a mandado de busca e apreensão e de prisão preventiva do homem acusado de filmar uma mulher quando utilizava o box privativo de um banheiro feminino da Universidade de Brasília (UnB).

As apurações verificaram que, pelo menos 18 fatos criminosos, já foram imputados ao envolvido, o qual, segundo relatos levantados, apontam que o suspeito costumava observar, fotografar e filmar mulheres, ou praticar outros atos libidinosos, quando as vítimas faziam uso do banheiro feminino, informa o delegado-chefe da 2ª DP, João Guilherme Carvalho.

Na sede da delegacia, o homem negou ter praticado o crime que lhe é imputado, porém, as investigações avançaram a partir do reconhecimento formal de outras vítimas e, até mesmo, de pessoas muito próximas ao autuado, que o reconheceram nas filmagens do crime praticado na Unb.

“Apurou-se ainda que as roupas utilizadas pelo investigado no crime da UnB são as mesmas que foram por ele utilizadas em outro fato de importunação sexual cometido em um cartório do DF, sendo a vestimenta apreendida na ocasião do cumprimento do mandado de busca e apreensão na residência do envolvido”, destaca o delegado.

De acordo com a Lei, a pena máxima para o crime de importunação sexual é de até cinco anos de reclusão, caso o fato não constitua crime mais grave.

Consta dos autos, que o investigado foi preso várias vezes em flagrante pelo crime de importunação sexual, mas encontrava-se em liberdade provisória, sendo que a última prisão em flagrante dele ocorreu em maio deste ano. “Ainda pesa contra o investigado 19 indiciamentos, a maioria deles pelos crimes de importunação sexual”, explica o chefe da 2ª DP.

A 2ª DP informa que, após o crime praticado na Unb, não foram identificadas outras possíveis vítimas de importunação sexual com suspeita de participação do autuado.

Da redação com informações da Assessoria de Comunicação/DGPC

Nossa missão é investigar!

Nenhum comentário

BETANO


 

Pixel