Os Guindastes usados no Túnel de Taguatinga vieram de São Paulo - LEI & POLÍTICA

Page Nav

HIDE

Teste Teste Teste Teste


 

Últimas notícias:

latest

{ads}


 

Os Guindastes usados no Túnel de Taguatinga vieram de São Paulo

As  Máquinas de última geração, operadas por técnicos especializados, foram empregadas na fase mais delicada da obra. A construção do Túnel ...


As Máquinas de última geração, operadas por técnicos especializados, foram empregadas na fase mais delicada da obra.

A construção do Túnel de Taguatinga, uma obra de grande porte, com custo total previsto de R$ 275,7 milhões, também exige máquinas especiais e trabalhadores especializados para operá-las. Entre essas máquinas, destacam-se os quatro conjuntos de guindastes pesados, cada um com dois guindastes de 75 toneladas e 20 metros de lança. De acordo com o engenheiro Rodrigo Magalhães, um dos responsáveis pela construção do túnel, os guindastes e seus operadores vieram de São Paulo. “Os guindastes são operados por profissionais especializados”, explicou Rodrigo.

Os guindastes pesados, não disponíveis em Brasília, foram usados na construção das paredes diafragma | Fotos: Paulo H Carvalho/Agência Brasília

Segundo o secretário de Obras, Luciano Carvalho, a dimensão grandiosa e o ineditismo do túnel justificam o aporte. “O túnel é a maior obra viária em andamento no Brasil e, como tal, exige uso desse tipo de maquinário. É importante salientar, no entanto, que obras como o túnel não são comuns na região do DF, diferentemente do Rio de Janeiro e de São Paulo”, afirma o secretário.

Os guindastes pesados, não disponíveis em Brasília, foram usados na fase mais delicada da obra do túnel: as paredes diafragma. A execução da parede diafragma consiste em construir uma parede de concreto armado moldada “in loco” no terreno, podendo ter profundidades e espessuras variáveis. É constituída por painéis ou lamelas, que são executados de modo alternado ou sucessivo. Cerca de 350 trabalhadores se dedicaram exclusivamente às paredes diafragma do túnel.

Quatro conjuntos de guindastes pesados, cada um com dois guindastes de 75 toneladas e 20 metros de lança, foram utilizados durante a obra

Uma das próximas etapas da construção do túnel será a drenagem. Nessa fase, segundo Rodrigo, serão usados 15 equipamentos pesados, como escavadeiras, retroescavadeiras, pás carregadeiras e caminhões, além de compactadores manuais. Para fazer a terraplanagem e a pavimentação do túnel, a previsão é de  que sejam usados 80 equipamentos.

As escavadeiras hidráulicas, embora não necessitem de profissionais especializados para operá-las, dispõem de tecnologia moderna, como a possibilidade do uso de joystick no manuseio. A previsão é de que sejam usadas três ou quatro escavadeiras desse tipo e a mesma quantidade de retroescavadeiras.

Por fim, quando o túnel entrar na fase de acabamento, será feito o reaterro e a concretagem. Para isso, serão utilizadas máquinas acabadoras de concreto e de pavimentação. O túnel contará com dois tipos de piso. O de concreto para os locais por onde transitarão veículos mais pesados e o de pavimentação, destinado ao fluxo de veículos mais leves.

O pavimento de concreto também é conhecido como rígido. É aquele em que o revestimento tem uma elevada rigidez em relação às camadas inferiores e, portanto, absorve praticamente todas as tensões provenientes do carregamento aplicado. Na pavimentação, serão utilizados, ainda, rolos compactadores e vibroacabadoras.

Os rolos compactadores, como o próprio nome diz, compactam. A razão para isso é que cada tipo de solo possui uma densidade, e a maior parte das construções exige uma determinada densidade para ficarem estáveis. As vibroacabadoras, ou pavimentadoras de asfalto, são máquinas normalmente acopladas a caminhões para realizar operações de aplicação, nivelamento e pré-compactação do concreto asfáltico.

Da redação do Lei & Política

Nenhum comentário

BETANO


 

Pixel